Festa da Candelaria

No dia 02 de fevereiro os católicos celebram em vários países latinos, inclusive na Espanha, o dia da Virgen de la Candelaria (Nossa Senhora da Luz). Esta é uma das advocações marianas mais antigas e tem sua origem em uma suposta aparição de Maria na Ilha de Tenerife, Espanha no século XV.

No México apesar da força da Igreja Católica (depois do Brasil é o segundo país no mundo com mais católicos)  a celebração tem uma importante influência das culturas pré-hispânicas pois coincide com o décimo primeiro dia do primeiro mes do antigo calendário Azteca, quando se fertejavam alguns deuses tlaloques.

A tradição é reunir os amigos e familiares para comer tamal e tomar atole, ambos derivados de milho, base da alimentação mexicana.

O tamal é muito parecido com a pamonha. A palavra vem do nahuatl (idioma dos Aztecas) e significa “enrolado”. A massa é feita de farinha de milho e pode ser recheada de carne, queijo ou vegetales (entre eles alguns tipos de pimenta, é claro). Essa massa é envolvida principalmente usando folhas de milho ou de bananeira.

Já o atole é uma bebida cujo nome, também de origem nahuatl, significa aguado (atl é agua e tol é um diminutivo despectivo). O milho é cozido de uma maneira que termina sendo um líquido viscoso. Normalmente é condimentado com chocolate, morango ou baunilha e deve ser servido muito quente.

Ontem tive duas rodadas de tamales. Uma de manhã cedo na empresa em que trabalho (todos pararam de trabalhar pra ir ao refeitório comer tamales) e a noite no Escritório Nacional Escoteiro.

“Perdoar, sim. Esquecer, jamais!”

No dia 27 de janeiro de 1945 as tropas soviéticas libertaram o campo de concentração de Auschwitz, na Polônia. A data marca o fim de um dos episódios mais tenebrosos da história da humanidade, na qual foram cruelmente assassinados 6 milhões de judeus além de eslavos, ciganos, homossexuais, dissidentes políticos, maçons e testemunhas de Jeová.

As  Nações Unidas através de uma resolução declararam o dia 27 de janeiro como Dia Internacional de Lembrança das Vítimas do Holocausto.  A resolução rejeita qualquer questionamento de que o Holocausto realmente ocorreu, enfatiza o dever dos Estados-membros de educar futuras gerações sobre os horrores do genocídio e condena todas as manifestações de intolerância ou violência baseadas em origem étnica ou crença.

Apesar dos anos, a dor de quem perdeu familiares ainda persiste e para que jamais volva a acontecer uma barbárie como esta é importante manter as lembranças deste evento macabro de geração em geração.

Recentemente foi inaugurado o primeiro museu do Holocausto do Brasil, localizado em Curitiba. Para quem quiser conhecer, é preciso agendar a visita. www.museudoholocausto.org.br

Em várias localidades do mundo existem excelentes museus do Holocausto, abertos a todos os que querem conhecer melhor a história e fazer uma homenagem as vítimas.

O mais importante sem dúvida é o Yad Vashem, em Jerusalém. Além de museu, é um instituto que se encarrega de reunir o maior número de informação sobre as vítimas que vivem hoje em diferentes partes do mundo. www.yadvashem.org

Em Washington também existe um museu muito bem montado, com artigos originais doados por familias judias americanas e por outras instituições européias, além de artigos do Yad Vashem.

A visita termina em uma bonita sala construida com pedras levadas de Jerusalém no qual videos de sobreviventes gravados em um projeto realizado por Steven Spielberg na época em que gravou A Lista de Schindler. www.ushmm.org

No México foi inaugurado há um ano e meio o Museu da Memória e da Tolerância. Uma boa parte é dedicada ao Holocausto Judeu, mas o museu também explora outros genocídios igualmente cruéis como o da Guatemala, Cambodia, Iugoslávia, Ruanda e Dafur (Sudão). Ao final, vem a parte da Tolerância que trata desde os Direitos Humanos até questões do dia a dia como o respeito no trânsito e bullyng. www.memoriaytolerancia.org

Popocatépetl

Nestes últimos dias o céu está bastante limpo e com a diminuição da poluição fomos privilegiados na Cidade do México com a vista do Popocatépetl, o vulcão mais importante do país que fica a apenas 55 km da cidade.

Na época pré-hispanica, este que é o segundo ponto mais alto do México, era considerado um lugar sagrado. Seu nome em Nahuatl significa algo como “montanha que solta fumaça” pois está desde aquela época em constante atividade.

Tive a sorte (ainda que com a câmera do celular) de tirar uma fotografia da sua vista desde o Anel Periférico, uma das principais avenidas da cidade.

Na foto vemos não só o Popo, como é carinhosamente chamdo, mas também sua impressionante fumarola.

Foro Nacional de Comunicación e Imagen

Participei neste fim de semana do 1o Fórum Nacional de Comunicação e Imagem da Asociación de Scouts de México, que foi realizado no Edificio Tlatelolco, equivalente ao Palácio do Itamaraty (Ministério das Relações Exteriores).

Participaram Pioneiros, Escotistas e Dirigentes de diferentes partes do país que atuam tanto nos seus Grupos, Distritos e Províncias (Regiões).

Foi uma oportunidade muito interessante para aprender e discutir alguns temas como a marca “Scouts”, o uso das redes sociais no escotismo, patrocínios, protocolo entre outros. Como parte das atividades os participantes fizeram uma rápida atividade de promoção do Escotismo nas ruas ao redor da sede do evento.

Faixas e folhetos foram usados para fazer propaganda do Escotismo na “Alameda”, um dos parques mais simbólicos da Cidade do México.

Além de ter a honra de abrir o evento, dei a primeira palestra que foi sobre a Imagem do Escotismo no nivel mundial e em outros países.

Palavras de boas vindas

Video dos Escoteiros da Austrália que usei na minha apresentação e é um dos meus videos escoteiros favoritos.

Os melhores videos mexicanos do YouTube

Cada lugar tem sua subcultura e os vídeos do YouTube que são sucesso em um lugar muitas vezes não são vistos em outros lados. Por isso quero compartilhar com meus amigos brasileiros 5 dos videos de maior sucesso aqui no México nestes últimos anos em que eu estou morando por aqui.

#1  “Yo no choque, me chocaron”

#2 “Tengo Miedo”

#3 “La Caída de Edgar”

#4 “México tiene talento”

e o melhor dos últimos meses:

#5 “El Fuaaaaaaaa”

 

Terremoto de 1985

Hoje foi um dia especial pois marcou o 26o. aniversário do Terremoto de 1985 que destruiu grande parte da Cidade do México e marcou para sempre a história do país. Como é costume nesta data, foram realizados simulados de evacuação dos edifícios e na empresa onde trabalho não foi diferente.

No dia 19 de setembro de 1985 as 7h19min da manhã, um terremoto de 8.1 graus na escala Richter despertou os moradores de uma das maiores cidades do mundo. O terremoto foi oscilatório (movimento horizontal) e trepidatório (movimento vertical) ao mesmo tempo e durou pouco mais  de dois minutos. Diversas réplicas ocorreram sendo a mais forte 36 horas depois, alcançando 7.3 graus.

Área central da Cidade do México destruída. Ao fundo a Torre Latinoamericana, um dos símbolos da cidade, que não sofreu danos no grande terremoto.

A Cidade do México foi construida em parte sobre o Lago de Texcoco, que rodeava a antiga capital Azteca de Tenochtitlán. Esta foi a área mais afetada em função do tipo de solo. um aterro mal consolidado.

Os números variam de 9.500 a 35.000 mortos e cerca de 100 mil edificações danificadas.

Capa da famosa revista TIME

Logo após o sismo, os Escoteiros estavam entre os primeiros que se mobilizaram para socorrer as vítimas.

Encontrei um bonito depoimento de um rapaz que era Pioneiro na época e conta sobre a sua participação naqueles tristes dias de setembro de 1985.

Mapa de Desastres Naturais

Meu tio diz que sou um azarado pois aonde vou, sempre acontece algum fenômeno natural extraordinário.

Não é verdade, só peguei a pandemia de H1N1 e alguns terremotos no México, um tufão seguido de inundações e uma erupção vulcânica nas Filipinas, uma tempestade que quase derrubou meu avião de Curitiba a Guarulhos e só (que eu lembre assim rápido).

Pensando em gente que atrai esse tipo de coisa ou que necessita saber o que está acontecendo em um determinado lugar, foi disponibilizado um site húngaro com um mapa mundial de catástrofes naturais, atualizado praticamente em tempo real.

Clique para entrar no mapa

O vulcão mexicano que aparece no mapa é o Popocatépetl (Popo para os íntimos) fica a 55 km da Cidade do México e é o 2o ponto mais alto do país (5.500 m de altitude). Está em erupção constante. Em raras ocasiões, quando os níveis de poluição baixam, pode ser visto da Cidade. Tive este privilégio em fevereiro de 2010 por alguns dias, depois de anos sem que isso fosse possível.

Popocatépetl visto da Cidade do México. O prédio mais alto na foto é a "Torre Maior", o edificio mais alto do México. (www.flickr.com/photos/erlucho)

85 anos dos “Scouts de México”

Em 26 de agosto de 1926 a Conferência Internacional do Escotismo (atualmente Conferência Mundial) reunida em Kandersteg, Suiça, reconheceu como membro os “Exploradores Nacionales de la República Mexicana”, chamada hoje de Asociación de Scouts de México, A.C.

Apesar da data oficial ser 1926, o Escotismo está presente no México desde 1913-1914 chegando tanto pelos Estados Unidos quanto pela Alemanha e em diferentes zonas do país. Entretanto, sua organização formal foi dificultada pela conturbada situação do país na década de 1910, por um lado pela Revolução Mexicana e por outro pelos  conflitos com os Estados Unidos.

A celebração dos 85 anos da ASMAC ocorreu no Convento Del Carmen com a presença de Pioneiros, Escotistas e Dirigentes, antigos Escoteiros e representantes de organizações que trabalham com os Escoteiros Mexicanos. Dentre elas destaco os Correios do México, que lançaram um novo carimbo comemorativo e a Cruz Vermelha Mexicana que recebeu a Medalha “Carita Sonriente de Oro”, a mais alta condecoração para pessoas ou instituições não escoteiras no México.

Representante dos Correios do México com o Escoteiro Chefe e o Presidente Nacional.

Carita Sonriente de Oro

Detalhe da decoração da sessão solene e coquetel.

Na manhã deste mesmo dia o Conselho Nacional realizou sua 4a sessão ordinária de 2011 e foi a minha primeira participação desde minha eleição em junho. Dentre as diversas decisões foi eleito o novo Presidente da Associação, o Sr. Victor Blake, com mandato até abril de 2013.

Victor Blake renova sua promessa como Presidente da ASMAC junto ao Jefe Scout Nacional, José Adolfo Lopez Sampson Félix

Recebendo do Presidente Nacional o distintivo de Conselheiro Nacional.

Os Scouts de México utilizam um interessante sistema de distintivos para identificar o nivel (local, distrital, provincial ou nacional) e o cargo ocupado. Este é o distintivo de Conselheiro Nacional, usado no ombro esquerdo.

Entre a reunião do Conselho e a Sessão Solene, tivemos a oportunidade de participar de um evento no Parque da Bombilla, no qual inúmeros lobinhos renovaram sua promessa como membros da “Geração de 2019”. Estes são os potenciais participantes do Jamboree Mundial que ocorrerá naquele ano e do qual o México é co-organizador, junto com os Estados Unidos e Canadá.

O Escoteiro Chefe Nacional e os Lobinhos da Geração de 2019.

Lenço do Jamboree Mundial 2019

Uma exposição que eu NÃO recomendo

Decidi “turistear” no Centro Histórico da Cidade do México neste fim de semana. Sem dúvida é um dos lugares mais bonitos da cidade e nos últimos anos vem passando por muitas reformas para torná-lo mais seguro e amigável para os turistas.

Dizem que a Cidade do México é a cidade com mais museus no mundo e eu não duvido que seja verdade. Existem museus de tudo o que se possa imaginar e exposições em cada esquina.

Passando em frente ao “Palacio de Mineria”, um belo edificio construído no início do século XIX para abrigar a Faculdade de Engenharia, vi uma exposição que me pareceu peculiar: “Instrumentos de Tortura e de Pena de Morte”.

A exposição trae diversos artefatos originais dos séculos XVI a XVIII que foram trazidos de diferentes lugares da Europa. A exposição é super pesada pois cada uma das máquinas de tortura traz uma explicação detalhada de como era usada, seus efeitos e muitas ilustrações. Interessante, mas não volto a visitar, nem recomendo.

Se ainda assim você anda pelo México e quer ir sofrer um pouco, a entrada custa 40 Pesos (aprox R$ 6,00) e não são permitidas fotos nem vídeos.

Scouts otorgan medalla “Carita Sonriente Oro” a Gobernador Juan Sabines Guerrero

Vicepresidente de Scouts de México, Gobernador del Estado de Chiapas, Vicepresidente de la Región Scout Interamericana.

La Asociación de Scouts de México A.C otorgó la máxima presea que esta organización concede a alguien que no es miembro de ellos y que se destaca por promover el desarrollo de la sociedad, que es la Carita Sonriente Oro, al gobernador Juan Sabines Guerrero.

El vicepresidente nacional de la Asociación de Scouts de México, Víctor Blake Gómez, indicó que se debe a los logros obtenidos en la entidad: “Es el primer gobernador al que se le otorga esta presea y se le otorga porque ya realizó en el trabajo y en este estado hemos tenido un enorme apoyo y hay logros contundentes que lo demuestran”.

Víctor Blake Gómez señaló que este galardón posee especial simbolismo: “Es una presea con mucho simbolismo porque es copia de la carita totonaca y es la única reliquia, el único vestigio prehispánico en el que existe una sonrisa. Esta presea no se ha entregado anteriormente más que a 3 personas en México.

Al celebrar también el vigésimo quinto aniversario de la provincia scout Chiapas, el gobernador Juan Sabines Guerrero, luego de agradecer este gesto para el pueblo de Chiapas, señaló que el aporte de los Scouts es fundamental para construir una mejor sociedad: ¨Hoy como nunca creo que México necesita de gente sana, gente propositiva, que todos los días haga una buena obra, México requiere de ustedes y Chiapas también lo necesita¨.

Juan Sabines Guerrero aseveró que hace falta gente comprometida con causas como la conservación del medio ambiente, tal como lo están los scouts: “Para nosotros será siempre un enorme valor y una gran ayuda que podamos contar con ustedes en todos los aspectos y también en la conservación, que es un servicio no a Chiapas, es un servicio para todo México y el mundo”.

Mientras el vicepresidente de la Organización Mundial del movimiento Scout región interamericana, Fernando Brodeschi, informó que se integró la red scout ambiental interamericana para compartir y realizar trabajos en conjunto con los 34 países de la región, el cual por primera vez se realizará en Chiapas.

Refirió Fernando Brodeschi por qué Chiapas: “Por la proyección que tiene el estado, por el trabajo que ha realizado en el tema de medio ambiente y desarrollo, por el compromiso que tiene Chiapas con los Objetivos de Desarrollo del Milenio, son puntos bastante importantes para nosotros y vemos que estando aquí en Chiapas los scouts de América podemos aprender mucho y apoyar también”.

Por su parte, el gobernador del pueblo de Chiapas señaló que en la entidad se trabaja en la conservación del medio ambiente, en coincidencia con esta organización, por ello propuso instalar la base scout en el Zoomat.

Cabe señalar que en Chiapas existen 150 miembros scouts en Tuxtla Gutiérrez, Tapachula y San Cristóbal de Las Casas. Son 30 millones de scouts en 216 países y la región interamericana de la cual México es parte está compuesta por 34 países de América y el Caribe.

Fuente: Instituto de Comunicación Social del Estado de Chiapas (www.comunicacion.chiapas.gob.mx)

México Hasta la Madre

En protesta a la cantidad mas allá de inaceptable de muertes de inocentes de norte a sur de México, empezó hoy una marcha en la ciudad de Cuernavaca que deberá llegar al D.F. el domingo 8 de marzo, en donde se unirán a manifestantes de diferentes partes del país.

Les comparto la carta del periodista y poeta Javier Sicilia, quien participa de esta marcha y quien publicó hace algunas semanas luego del asesinato de su hijo y amigos. El poeta habla por todos los que viven en este hermoso país.

Carta abierta a políticos y criminales
Javier Sicilia

MÉXICO, DF., 3 de abril (Proceso).- El brutal asesinato de mi hijo Juan Francisco, de Julio César Romero Jaime, de Luis Antonio Romero Jaime y de Gabriel Anejo Escalera, se suma a los de tantos otros muchachos y muchachas que han sido igualmente asesinados a lo largo y ancho del país a causa no sólo de la guerra desatada por el gobierno de Calderón contra el crimen organizado, sino del pudrimiento del corazón que se ha apoderado de la mal llamada clase política y de la clase criminal, que ha roto sus códigos de honor.

No quiero, en esta carta, hablarles de las virtudes de mi hijo, que eran inmensas, ni de las de los otros muchachos que vi florecer a su lado, estudiando, jugando, amando, creciendo, para servir, como tantos otros muchachos, a este país que ustedes han desgarrado. Hablar de ello no serviría más que para conmover lo que ya de por sí conmueve el corazón de la ciudadanía hasta la indignación. No quiero tampoco hablar del dolor de mi familia y de la familia de cada uno de los muchachos destruidos. Para ese dolor no hay palabras –sólo la poesía puede acercarse un poco a él, y ustedes no saben de poesía–. Lo que hoy quiero decirles desde esas vidas mutiladas, desde ese dolor que carece de nombre porque es fruto de lo que no pertenece a la naturaleza –la muerte de un hijo es siempre antinatural y por ello carece de nombre: entonces no se es huérfano ni viudo, se es simple y dolorosamente nada–, desde esas vidas mutiladas, repito, desde ese sufrimiento, desde la indignación que esas muertes han provocado, es simplemente que estamos hasta la madre. 

Estamos hasta la madre de ustedes, políticos –y cuando digo políticos no me refiero a ninguno en particular, sino a una buena parte de ustedes, incluyendo a quienes componen los partidos–, porque en sus luchas por el poder han desgarrado el tejido de la nación, porque en medio de esta guerra mal planteada, mal hecha, mal dirigida, de esta guerra que ha puesto al país en estado de emergencia, han sido incapaces –a causa de sus mezquindades, de sus pugnas, de su miserable grilla, de su lucha por el poder– de crear los consensos que la nación necesita para encontrar la unidad sin la cual este país no tendrá salida; estamos hasta la madre, porque la corrupción de las instituciones judiciales genera la complicidad con el crimen y la impunidad para cometerlo; porque, en medio de esa corrupción que muestra el fracaso del Estado, cada ciudadano de este país ha sido reducido a lo que el filósofo Giorgio Agamben llamó, con palabra griega, zoe: la vida no protegida, la vida de un animal, de un ser que puede ser violentado, secuestrado, vejado y asesinado impunemente; estamos hasta la madre porque sólo tienen imaginación para la violencia, para las armas, para el insulto y, con ello, un profundo desprecio por la educación, la cultura y las oportunidades de trabajo honrado y bueno, que es lo que hace a las buenas naciones; estamos hasta la madre porque esa corta imaginación está permitiendo que nuestros muchachos, nuestros hijos, no sólo sean asesinados sino, después, criminalizados, vueltos falsamente culpables para satisfacer el ánimo de esa imaginación; estamos hasta la madre porque otra parte de nuestros muchachos, a causa de la ausencia de un buen plan de gobierno, no tienen oportunidades para educarse, para encontrar un trabajo digno y, arrojados a las periferias, son posibles reclutas para el crimen organizado y la violencia; estamos hasta la madre porque a causa de todo ello la ciudadanía ha perdido confianza en sus gobernantes, en sus policías, en su Ejército, y tiene miedo y dolor; estamos hasta la madre porque lo único que les importa, además de un poder impotente que sólo sirve para administrar la desgracia, es el dinero, el fomento de la competencia, de su pinche “competitividad” y del consumo desmesurado, que son otros nombres de la violencia. 

De ustedes, criminales, estamos hasta la madre, de su violencia, de su pérdida de honorabilidad, de su crueldad, de su sinsentido. 

Antiguamente ustedes tenían códigos de honor. No eran tan crueles en sus ajustes de cuentas y no tocaban ni a los ciudadanos ni a sus familias. Ahora ya no distinguen. Su violencia ya no puede ser nombrada porque ni siquiera, como el dolor y el sufrimiento que provocan, tiene un nombre y un sentido. Han perdido incluso la dignidad para matar. Se han vuelto cobardes como los miserables Sonderkommandos nazis que asesinaban sin ningún sentido de lo humano a niños, muchachos, muchachas, mujeres, hombres y ancianos, es decir, inocentes. Estamos hasta la madre porque su violencia se ha vuelto infrahumana, no animal –los animales no hacen lo que ustedes hacen–, sino subhumana, demoniaca, imbécil. Estamos hasta la madre porque en su afán de poder y de enriquecimiento humillan a nuestros hijos y los destrozan y producen miedo y espanto.

Ustedes, “señores” políticos, y ustedes, “señores” criminales –lo entrecomillo porque ese epíteto se otorga sólo a la gente honorable–, están con sus omisiones, sus pleitos y sus actos envileciendo a la nación. La muerte de mi hijo Juan Francisco ha levantado la solidaridad y el grito de indignación –que mi familia y yo agradecemos desde el fondo de nuestros corazones– de la ciudadanía y de los medios. Esa indignación vuelve de nuevo a poner ante nuestros oídos esa acertadísima frase que Martí dirigió a los gobernantes: “Si no pueden, renuncien”. Al volverla a poner ante nuestros oídos –después de los miles de cadáveres anónimos y no anónimos que llevamos a nuestras espaldas, es decir, de tantos inocentes asesinados y envilecidos–, esa frase debe ir acompañada de grandes movilizaciones ciudadanas que los obliguen, en estos momentos de emergencia nacional, a unirse para crear una agenda que unifique a la nación y cree un estado de gobernabilidad real. Las redes ciudadanas de Morelos están convocando a una marcha nacional el miércoles 6 de abril que saldrá a las 5:00 PM del monumento de la Paloma de la Paz para llegar hasta el Palacio de Gobierno, exigiendo justicia y paz. Si los ciudadanos no nos unimos a ella y la reproducimos constantemente en todas las ciudades, en todos los municipios o delegaciones del país, si no somos capaces de eso para obligarlos a ustedes, “señores” políticos, a gobernar con justicia y dignidad, y a ustedes, “señores” criminales, a retornar a sus códigos de honor y a limitar su salvajismo, la espiral de violencia que han generando nos llevará a un camino de horror sin retorno. Si ustedes, “señores” políticos, no gobiernan bien y no toman en serio que vivimos un estado de emergencia nacional que requiere su unidad, y ustedes, “señores” criminales, no limitan sus acciones, terminarán por triunfar y tener el poder, pero gobernarán o reinarán sobre un montón de osarios y de seres amedrentados y destruidos en su alma. Un sueño que ninguno de nosotros les envidia. 

No hay vida, escribía Albert Camus, sin persuasión y sin paz, y la historia del México de hoy sólo conoce la intimidación, el sufrimiento, la desconfianza y el temor de que un día otro hijo o hija de alguna otra familia sea envilecido y masacrado, sólo conoce que lo que ustedes nos piden es que la muerte, como ya está sucediendo hoy, se convierta en un asunto de estadística y de administración al que todos debemos acostumbrarnos. 

Porque no queremos eso, el próximo miércoles saldremos a la calle; porque no queremos un muchacho más, un hijo nuestro, asesinado, las redes ciudadanas de Morelos están convocando a una unidad nacional ciudadana que debemos mantener viva para romper el miedo y el aislamiento que la incapacidad de ustedes, “señores” políticos, y la crueldad de ustedes, “señores” criminales, nos quieren meter en el cuerpo y en el alma.

Recuerdo, en este sentido, unos versos de Bertolt Brecht cuando el horror del nazismo, es decir, el horror de la instalación del crimen en la vida cotidiana de una nación, se anunciaba: “Un día vinieron por los negros y no dije nada; otro día vinieron por los judíos y no dije nada; un día llegaron por mí (o por un hijo mío) y no tuve nada que decir”. Hoy, después de tantos crímenes soportados, cuando el cuerpo destrozado de mi hijo y de sus amigos ha hecho movilizarse de nuevo a la ciudadanía y a los medios, debemos hablar con nuestros cuerpos, con nuestro caminar, con nuestro grito de indignación para que los versos de Brecht no se hagan una realidad en nuestro país. 

Además opino que hay que devolverle la dignidad a esta nación.

San Ángel, Cidade do México

A Cidade do México é uma das maiores do mundo e existem muitas coisas para conhecer nela. Há alguns dias resolvi fazer um pouco de turismo em uma área muito bonita perto do meu novo apartamento chamada “San Ángel”.

Esta parte da cidade começou a ser colonizada no século 17 quando um grupo de Irmãs Carmelitas fundaram um convento aproveitando uma grande área com árvores frutíferas ao lado do Rio Magdalena. Até a metade dos anos 1950 ir a San Ángel era uma verdadeira viagem.

Hoje o acesso a San Ángel é muito fácil seja pela Avenida Revolución, Avenida Insurgentes ou pelo Anillo Periférico. É uma zona de excelentes restaurantes e muitas galerias de arte e lojas. A parte residencial de San Angel conserva casas da aristocracia mexicana do século 19 e outras mais modernas que são verdadeiras mansões.

Uma das belas e tranquilas ruas residenciais de San Ángel

Dentre os seus atrativos está o mercado de artesanato nos sábados (algo como a feira Hippie de Curitiba) e o “Ex convento El Carmen”, aquele fundado pelas Carmelitas que hoje é um museu.

Convento transformado em Museu

O Jardim da Arte ou Parque dos Pintores, cujo nome oficial é Praça San Jacinto.

Centro Cultural San Ángel, lugar de exposições e cursos

Apreciando as obras de arte (tá, na verdade descansando)

2010 em 30 fotos

Os últimos dias do ano são momentos bacanas pra fazer um balanço de tudo o que aconteceu nos 12 meses anteriores. Como tenho minhas fotos bastante bem organizadas, resolvi ver álbum por álbum e escolhi 30 fotos de ocasiões importantes do ano em que completei 30 anos de idade.

As fotos podem não ser as melhores mas os momentos sim. Também pode ser que algo ou alguém falte aqui, pois não ando com a câmara na mão o tempo todo. Assim, sempre acontecem coisas que infelizmente não podem ser registradas.

Reveillon 2010, começa um grande ano!

Reunião do Comitê Escoteiro Interamericano em Curaçao, Caribe (fev)

Encontrando amigos durante as férias da Semana Santa em Curitiba (mar)

Encontrando amigos durante as férias da Semana Santa em Curitiba (mar)

Encontrando amigos durante as férias da Semana Santa em Curitiba (mar)

Com a família em visita express a Floripa (abr)

Viagem ao Japão com a turma do mestrado (abr)

Visita a Veracruz, cidade portuaria mais importante do México (abr)

Reunião da Comissão Nacional de Relações Internacionais, com participantes em 3 países diferentes - viva a tecnologia (abr)

Que festão! Aniversário de 30 anos (mai)

"Cumbre Scout Nacional" do México (abr)

Visita ao local do 22o Jamboree Mundial na Suécia (jun)

Atlanta, onde nasceu a Coca-Cola (jun)

No último dia de aula do 1.o ano do IPADE, os alunos do 2.o ano vão fantasiados e atrapalham todas as aulas.... tradições (jun)

Assinatura do convênio entre a WOSM e a Ciudad del Saber, local da nova sede da Região Escoteira Interamericana no Panamá (jun)

Canal do Panamá (jun)

Copa do Mundo - Quando o México ganhou da França parecia que tinham sido campeões (jun)

Último dia de aulas do mestrado. Muita emoção depois de 2 anos muito intensos (jun)

Depois de conhecer 42 países já era hora de ir a Nova York (jul)

Washington - passei a respeitar muito mais os EUA depois de conhecer sua capital (jul)

Batendo um papo com a Brasileirada na minha visita ao Jamboree Panamericano (jul)

Momento mais importante do ano - formatura do mestrado. Obrigado família por tudo! (jul)

E começa uma nova etapa na vida profissional (ago)

Conferência Interamericana - Eleito 1o Vice-presidente Regional (ago)

Maior Flor de Lis do Mundo (ago)

Bicentenário da Independência do México (set)

Aniversário da Loy (set)

Investido membro da "Red Ambiental Scout" (set)

Depois de alguns anos voltei a participar do JOTA, desta vez na estação 4C1ASM (out)

Minha primeira reunião como vice-presidente do Comitê Escoteiro Interamericano, em Dallas (nov)

COP 16 – Cancun

A COP16/MOP6 é a 16a edição da Conferência das Partes da Convenção Marco das Nações Unidas sobre o Aquecimento Global e a 6a Conferência das Partes atuando como Reunião das Partes do Protocolo de Kyoto.

Esta reunião está sendo realizada em Cancun, no estado de Quintana Roo, México. Líderes dos governos e da sociedade civil de quase 200 países estão reunidos para discutir a agenda de ações para controlar o aquecimento do planeta e garantir a sobrevivência das diferentes espécies, inclusive do ser humano.

Diferentes eventos ocorrem simultaneamente nos diversos pavilhões da COP. Na tarde do dia 6 de dezembro Lorena Gudiño apresentou a Conferência Magistral “Entendendo o Aquecimento Global“, na Villa Climática. Ela explicou os conceitos básicos do aquecimento global, gases de efeito estufa, efeito albedo e pegada ecológica de uma maneira simples e dinâmica, dirigindo-se a uma audiência que não é especialista. No final explicou que todos somos responsáveis, pois a masa crítica do mundo está composta pelo público em geral e não apenas pelos tomadores de decisão. Todos podemos alcançar reduções significantes nas emissões se estamos mais conscientes do nosso impacto ao meio ambiente e agimos para sermos consumidores mais prudentes.

A Organização Mundial do Movimento Escoteiro e a Asociación de Scouts de México, A.C. também estão participando em diversos pontos do evento. Veja o vídeo da Primeira Dama do México, Margarita Zavala de Calderón, falando sobre o Escotismo.

Haloween

O Haloween ou Dia das Bruxas tem diferentes explicações históricas. Uma delas trata da origem na celebração celta do fim do verão. Era um momento do ano no qual se acreditava que os seres que habitavam o Infra-mundo ou o Submundo podiam voltar para o nosso mundo. Por isso, as pessoas se disfarçavam de monstros para que os verdadeiros monstros se confundissem e não lhes causassem problemas.

Com o tempo e a mescla de culturas a festa ganhou relação com a noite anterior ao dia 01 de novembro, no qual os católicos celebram o Dia de Todos os Santos. O nome Haloween é uma evolução da expressão Halow Evening (literalmente Noite Consagrada).

Por questões históricas, os países nos quais a tradição do Haloween é mais forte são a Irlanda, Escócia, Canadá e Estados Unidos.

Aqui no México, pela proximidade com os EUA, a tradição se permeou na cultura popular nos últimos anos e há uma mistura muito grande com a famosa celebração do Dia dos Mortos que ocorre no dia 02 de novembro.
Muita gente aproveita o dia 31 de outubro (ou próximo da data) para comemorar.

Ontem com alguns amigos fizemos uma festa, na qual o tema era “Ángeles y Demónios”. Para entrar na festa (em teoria) todos deveriam estar fantasiados de anjo ou demônio. Fiz uma fantasia de Ángel, nome de um dos meus melhores amigos aqui.

Ángel y Ángel

Pop Rock brasileiro no México

Depois de mais de dois anos morando no México fui ao meu primeiro evento da comunidade brasileira, um Tributo ao Pop Rock Brasileiro.

O show foi organizado pela “Casa do Brasil“, uma escola de português e cultura brasileira, que organiza algumas festas e encontros pros brazucas que estão por aqui.

Além de curtir Engenheiros, Titãs, Capital, Cassia Eller, Skank, Cidade Negra e outros, tomamos caipirinha e comemos pão de queijo e coxinha.

Grupo Sambrasil

Grupo Sambrasil

 

Carteira de Motorista no México

Aqui no México cada um dos 32 estados tem seu próprio regulamento de trânsito e portanto a emissão das carteiras de motorista tem procedimentos diferentes de um lugar pra outro.

Há alguns dias finalmente tirei minha “Licencia para Conducir” aqui no Distrito Federal e foi algo tão hilário que foi na verdade o que me motivou a reativar o blog.

O procedimento é o seguinte:

I) Você vai até um posto de atendimento da “Tesoreria del Distrito Federal”. Muitas delas ficam dentro de grandes supermercados. Portanto tecnicamente não estou mentindo ao dizer que aqui você tira a carteira de motorista no supermercado.

II) Depois de pegar um formulário, você deve dirigir-se ao caixa (esse sim do supermercado) e pagar MXN 483,00 (mais ou menos uns R$ 70,00).

III) Com o comprovante de pagamento você volta ao posto de atendimento e te dão uma senha. É só esperar, apresentar um documento oficial (no meu caso passaporte e o visto de residente) e um comprovante de residência.

IV) Eles preenchem os teus dados no computador e tiram a tua foto.

V) A carteira é impressa aí mesmo na hora e pronto.

VI) Pronto

VII) Pronto

VII) De verdade, pronto.

IX) Juro, não tem prova teórica, nem exame de vista e menos prova prática (baliza nem pensar).

10) É isso mesmo, nem sequer perguntaram se eu sabia dirigir.

Agora entendo porque o trânsito daqui é uma loucura. Mas ainda sim a Cidade do México é maravilhosa!

PS: Antes que me perguntem, sim eu já dirigia aqui antes mas com a Carteira de Habilitação Internacional.

Veracruz, México

Veracruz é o principal porto do México. A cidade é famosa pelas suas praias, pelo café (disputa com Chiapas e Oaxaca o título de melhor do país) e evidentemente pela música. Quem nunca dançou ao ritmo de La Bamba?

Além disso, o estado de Veracruz é famoso pelos seus rios, excelentes para fazer rafting.

Em agosto estive por lá e foi uma viagem muito bacana. Fiquei num resort chamado México Verde (www.mexicoverde.com), super recomendado!

Rafting no Rio Pescado

Rafting no Rio Pescado

Lagos de Montebello, México

No início de agosto, aproveitando meus últimos dias no México em 2009 e para comemorar meu primeiro ano vivendo em terras astecas, fomos para o sul do país para que eu conhecesse os “Lagos de Montebello”.

Para chegar até lá voei da Cidade do México até Tuxtla-Gutierrez, capital do estado de Chiapas. As empresas que fazem a rota são a Mexicana e Interjet. De ônibus a viagem dura cerca de 12 horas e as vezes o preço do avião é o mesmo. De Tuxtla para o sul também é possível ir de ônibus, mas fomos de carro. A estrada é bastante boa e permite parar onde quiser. No caminho, passamos pelo parque do Chiflon, onde fica uma queda d’água muito bonita e fomos fazer uma visita.

Chiflon

Além de caminhar pelo parque, é possível atravessar o vale formado pela cachoeira em tirolesa. Realmente vale a pena.

Adiante, passando a cidade de Comitán, estão os famosos lagos, cujo atrativo são as cores das águas. Cada lago é diferente em função dos minerais no fundo de cada um deles. O conjunto de lagos é enorme e apenas uma pequena parte pode ser acessada de carro – todos os demais devem ser através de trilhas ou pelo meio do mato. Alguns estão em propriedades privadas e a entrada não é permitida.

Parte deles está no México e a outra na Guatemala. Um dos que mais me chamou a atenção é o chamado “Lago Internacional” que é cortado em sua metade justamente pela linha da fronteira. Neste lago é possível cruzar a fronteira como se nada estivesse acontecendo e aproveitamos para passar um tempinho na Guatemala fazendo compras em um mercadinho.

Lago Internacional. A esquerda a Guatemala - a direita o México.

Lago Internacional. A esquerda a Guatemala - a direita o México.

Na beira de alguns dos lagos existem várias pousadas. Difícil foi encontrar uma com água quente. Banheiro no quarto, até tem mas sai bem mais caro.

Lagos de Montebello

É um passeio bonito, mas vale a pena com sol pois as cores se vem muito mais bonitas.

Na volta passamos por uma pirâmide que fica em cima de um morro. Na foto quase não se nota mas é a mancha cinza no meio da vegetação. Para chegar até ela é preciso passar pela plantação de um cara que é conhecido por não gostar muito de receber visitas. Preferimos deixar para outra ocasião.

Pirâmide